Lacerda sai de cena, eleição polarizada pode benficiar tucanos

0

Eleições 2018: após revés imposto pela executiva nacional do PSB em favor de Fernando Pimentel (PT), o ex-prefeito de Belo Horizonte Marcio Lacerda resolveu tirar o time de campo.

Ele percebeu que o jogo ficou difícil e decidiu que não dava mais para a sustentar a candidatura. Lacerda pediu desfiliação do PSB, e também não deve sair candidato ao Senado.

A estratégia do PSB de apoiar Pimentel pode não dá muito certo. Lacerda já disse que não apoiará o petista. Em Minas, muito provavelmente, o PT herdará poucos dos socialistas.

Quem pode se dá bem neste jogo são os tucanos, Anastasia (PSDB) pode acabar com a eleição ainda no primeiro turno.

O tempo de televisão que Pimentel ganhará a mais por conta da aliança com PSB, não deve ser o suficiente para apagar a má avaliação do governo dele, principalmente, pelos servidores públicos que há muito tempo não recebem os salários em dia.

Anastasia e Pimentel polarizaram debate realizado pela Band

0

No primeiro debate entre candidatos ao governo de Minas, organizado pela Band TV, na noite de ontem, a questão que envolve o atraso no pagamento dos servidores tomou conta da pauta.

Antônio Anastasia (PSDB) bateu forte sobre a questão da gestão das finanças do Estado de Minas que impactou nos constantes atrasos no pagamento de servidores.

Fernando Pimentel (PT) responsabilizou a atual conjuntura da economia nacional e alegou que já pegou o caixa do Estado com problemas.

Anastasia se defendeu mandando Pimentel perguntar aos servidores como era o pagamento de salários durante a sua gestão.

Pimentel responsabilizou o PSDB pelo que “chamou de golpe”que ajudou no impeachment de Dilma, e que isso teria tido impacto nas economias dos estados.

Marcio Lacerda (PSB), ex-prefeito de BH, participou do debate mas não sabe ainda se será confirmado candidato. No debate, ele bateu em Pimentel e Anastasia e criticou a falta de transparência nas contas do governo de Minas.

TSE retira caso de Lacerda da pauta e adia decisão sobre candidatura

0

A situação não anda muito favorável para o ex-prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda. O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) retirou da pauta a análise sobre a candidatura de Lacerda ao governo de Minas.

Lacerda teve a sua candidatura retirada à revelia após decisão do diretório nacional do PSB, por meio de Carlos Siqueira. Ele promoveu uma manobra no diretório mineiro e inviabilizou a candidatura do ex-prefeito de BH.

O TSE vai analisar ainda esta semana se mantém o resultado da convenção estadual, ou se acata decisão de Siqueira que decidiu apoiar em Minas, a candidatura de Fernando Pimentel do PT.

Em tempo, Lacerda mantém agenda e já começou a gravar para campanha de televisão e rádio.

Estratégia de Aécio nas mídias socias é focar nas realizações de governo

2

O senador Aécio Neves, em pré-campanha nas mídias sociais, segue lembrando as realizações do período em que foi governador de Minas entre 2003 e 2010.

Após refletir sobre a sua atual situação política, Aécio decidiu sair candidato a deputado federal, evitando disputar a reeleição para o Senado.

As inserções das postagem tiveram início esta semana. Ao medir o alcance das mensagens pelo termômetro de engajamento, a candidatura parece que teve uma boa aceitação. A conferir ao longo da campanha.

 

 

 

Marcio Lacerda luta par manter candidatura ao governo de Minas

0

O ex-prefeito de Belo Horizonte Marcio Lacerda entrou, ontem (10.08), com uma ação no TRE–MG questionando ata do PSB nacional.

A tentativa é anular a ata da convenção enviada pelo partido ao Tribunal Regional Eleitoral de Minas.

Lacerda apresentou com prova um áudio de toda convenção nacional para que seja confrontado com que o foi apresentado pelo Executiva do partido.

Os advogados de Lacerda apontam uma série de supostas irregularidades na condução do processo que afastou o ex-prefeito de Belo Horizonte da disputa estadual.

Só para lembrar, o PSB nacional fez um acordo com o PT para que o partido apoie a candidatura à reeleição de Fernando Pimentel.

Lacerda foi afastado à revelia e, por isso, tenta garantir o seu direito para disputar o pleito estadual na Justiça eleitoral.

Mineiros ficaram de fora das chapas à presidência da República

0

O jornal O Tempo chamou atenção para o fato de os mineiros terem ficado de fora na composição das chapas nas eleições presidenciais.

Há dez dias quatro nomes estão bem cotados para ocupar uma das vagas nas chapas.

Os mineiros mais citados para compor com os partidos estavam o o ex-prefeito Marcio Lacerda (PSB) e o empresário Josué Gomes (PR).

Também foram lembrados, o advogado Castellar Guimarães Filho (PHS) e o deputado federal Marcelo Álvaro Antônio (PSL).

Esta é a terceira vez desde a redemocratização do país que um mineiro não é chamado para compor uma chapa presidencial.

Em 1994 e 1998, assumiram o carioca Fernando Henrique e o pernambucano Marco Marciel.

Vale lembrar que Minas se mantém como o segundo maior colégio eleitoral, segundo os últimos dados divulgados pela Justiça Nacional.

Leia mais em: Depois de dominar o segundo turno em 2014, Minas fica de fora de todas as chapas

 

Acordo nacional entre o PT e PSB isola candidatura de Lacerda em Minas

0

O ex-prefeito de Belo Horizonte Marcio LacerdaMarcio Lacerda (PSB) vai ter dias difíceis. Tudo por causa do acordo firmado em âmbito nacional entre o PT e PSB.

No acordo, O PT retiraria a candidatura da vereadora por Recife Marília Arraes ao governo de Pernambuco, O partido vai apoiar a reeleição do governador Paulo Câmara (PSB).

No acordo a cabeça de Lacerda foi colocada a prêmio, tudo porque o PSB garantiu apoio em Minas à reeleição de Fernando Pimentel (PT).

Márcio Lacerda está indignado e garantiu que vai lutar pela sua candidatura até o último minuto. O ex-prefeito de BH ameaça recorrer à Justiça caso seja necessário.

Lacerda, nas entrelinhas, deixa claro que caso seja colocado de escanteio que vai optar por uma terceira via, e que não dará apoio a Pimentel.

Anastasia sai na frente na disputa pelo Governo de Minas

0
Pesquisa DataTempo/CP2 realizada entre os dias 15 e 18 de julho em todas as regiões do Estado aponta (Gráfico - Jornal O Tempo)
Pesquisa DataTempo/CP2 realizada entre os dias 15 e 18 de julho em todas as regiões do Estado aponta (Gráfico - Jornal O Tempo)

Pesquisa DataTempo/CP2 realizada entre os dias 15 e 18 de julho em todas as regiões do Estado aponta que o senador tucano Antonio Anastasia tem 19,4%, contra 12,6% do governador Fernando Pimentel, e 7,6% do ex-prefeito de BH Marcio Lacerda.

De acordo, com o jornal O Tempo o cenário eleitoral em Minas Gerais começa a ganhar corpo e, mesmo com coligações ainda sendo definidas, já é possível prever disputas acirradas pelo comando do Estado.

No último sábado (28.07), o PSDB confirmou o senador Antonio Anastasia como candidato ao governo de Minas Gerais em convenção do diretório estadual do partido, em Belo Horizonte.

Leia matéria completa no site de O Tempo

 

Dinis Pinheiro confirma participação na chapa de Antonio Anastasia

0
ex-presidente da Assembleia de Minas Dinis Pinheiro do Solidariedade. Dinis vai participar da chapa como candidato ao Senado.
Dinis Pinheiro (ex-presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais)

O pré-candidato ao governo de Minas, senador Antonio Anastasia (PSDB), vai ter a companhia do ex-presidente da Assembleia de Minas Dinis Pinheiro do Solidariedade. Dinis vai participar da chapa como candidato ao Senado nas eleições deste ano.

Nas eleições deste ano, os estados vão eleger dois senadores. A segunda vaga em Minas ainda está em aberto. De acordo com o Estado de Minas, Dinis já começou atirando na ex-presidente Dilma:

“A história dela foi construída no Rio Grande do Sul. Se soltar ela na Praça da Liberdade e pedir para vir na Assembleia não vai conseguir se locomover, ela não conhece a nossa história”, criticou Dinis Pinheiro.

Dinis Pinheiro já esteve um dia no ninho tucano e tem um bom alinhamento com o Antonio Anastasia.

 

 

 

Fica com a Justiça Eleitoral análise de suposto caixa 2 de Pimentel em 2014

0
Ministro do STF alegou que só pode julgar atos de governadores por crimes cometidos durante o mandato e relacionados diretamente ao exercício do cargo (Foto: Agência Minas)
Ministro do STF alegou que só pode julgar atos de governadores por crimes cometidos durante o mandato e relacionados diretamente ao exercício do cargo (Foto: Agência Minas)

Por determinação do ministro Herman Benjamin do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) ação penal contra o governador Fernando Pimentel foi remetida para a Justiça Eleitoral de Minas. O processo está relacionado à Operação Acrônimo.

Na operação, a Polícia Federal investiga suposta lavagem de dinheiro na campanha eleitoral de 2014 de Fernando Pimentel. Existe a suspeita de Pimentel ter usado gráficas e agência de comunicação de forma indevida, sem prestar conta para a Justiça Eleitoral.

Benjamin alegou que só pode julgar atos de governadores por crimes cometidos durante o mandato e relacionados diretamente ao exercício do cargo.

 

Destaques