Kiko contou que que todos os crimes ocorreram em decorrência de conflitos ligados ao tráfico de drogas. (Foto: reprodução TV Globo)
Kiko contou que que todos os crimes ocorreram em decorrência de conflitos ligados ao tráfico de drogas. (Foto: reprodução TV Globo)
(Last Updated On: 20/06/2018 18:49)

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) apresentou hoje (20.06) Marcos Henrique Elias Meireles, conhecido como Kiko, de 34 anos. Ele foi preso na última quarta-feira (13.06), suspeito dos crime de tráfico de drogas, homicídio e roubo a bancos.

As apurações indicam que ele estaria envolvido em pelo menos 70 homicídios provenientes de conflitos em razão do tráfico de drogas na região do Barreiro, em Belo Horizonte, e em Contagem, Região Metropolitana.

Kiko, que se autodenominou de “exterminador de gentalhas”, disse que nunca matou pai de família ou trabalhador. Comentou que todos os crimes ocorreram em decorrência de conflitos ligados ao tráfico de drogas.

é o bandido Kiko, de 34 anos. Um criminoso que é velho conhecido das autoridades de Minas por assalto a bancos e outros delitos.

Kiko já cumpriu pena de 13 anos por tráfico de drogas, recentemente foi para o regime semiaberto e continuou com a pratica de crimes.

O suspeito foi preso em flagrante com uma quantidade significativa de drogas. O homem estaria traficando drogas no intuito de arrecadar uma quantia em dinheiro para adquirir armamentos e veículos que seriam usados em roubo a bancos.

Marcos Henrique cumpria pena em regime semiaberto há aproximadamente seis meses, sendo que o mesmo teria cumprido pena em regime fechado durante 13 anos.

Foram apreendidos na casa do investigado, além da droga (17 tabletes de cocaína, com cerca de um quilo cada; sete embalagens contendo três quilos também de cocaína), duas pistolas, uma calibre 380 e outra Glock calibre 40, três rádios comunicadores, balança de precisão, prensa e equipamentos para o embalo e preparo da droga, além de um veículo.

Apurou-se, ainda, que em razão de uma suposta “guerra” proveniente de inimigos de facções diversas do tráfico de drogas e outros crimes, mesmo quando cumpria sua pena em regime semi aberto, o suspeito andava sempre armado e continuava a praticar crimes com o objetivo de financiar o grupo criminoso do qual faz parte, especializado em roubo a bancos no Estado de Minas Gerais.

O Chefe do Departamento Estadual de Investigação de Crimes Contra o Patrimônio (Depatri), delegado Rodrigo Bustamante, destacou o resultado dos trabalhos.

“A função principal do nosso Departamento é investigar e reprimir o crime contra o patrimônio, mas atividades ilícitas paralelas a essa, que de alguma forma financiam a prática de crimes contra o patrimônio, também serão combatidas veementemente por nós.”, ressaltou.

O delegado João Prata, responsável pelas investigações, explicou como foi realizada a prisão. “Cientes da localização do suspeito, nossa equipe realizou campana e conseguimos monitorar o indivíduo. Em um momento oportuno, foi possível avistá-lo saindo de um imóvel com uma sacola preta nas mãos, momento este em que foi realizada a abordagem dentro de um veículo Toyota Corolla, onde encontramos um tablete de cocaína no banco do passageiro.” concluiu.

O conduzido foi autuado e responderá na Justiça pelas práticas de tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo. O homem foi preso e encaminhado ao Sistema Prisional, onde já se encontra à disposição da Justiça.

Os casos ligados aos homicídios serão encaminhados ao Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) para investigação e apuração dos fatos. A delegacia vai investigar se Kiko é realmente o autor de 70 homicídios, conforme o próprio preso contou ao policiais.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here